QUER CONHECER NOSSO CURSO ONLINE DE SUBLIMAÇÃO?

A Delicada Situação da Porcelana no Brasil segundo a revista Grafite Feiras e Promoções

Resolução da CAMEX provoca divergências entre importadores e lojistas – de um lado, e fabricantes nacionais do outro. Os produtos sofrem aumento e o consumidor é o maior projudicado. Por Jair Marcos Vieira para a revista Grafite Feiras e Promoções

A sublimação/estampa em canecas de cerâmica ESPECIAIS para este processo é feita no Brasil há mais de 10 anos, e mesmo assim o “mercado”  fecha os olhos para o processo e se “faz de bobo” ao não diferenciá-las em relação aos produtos “similares”. Um problema (erro) sério na classificação destes produtos, “mas o consumidor engole tanta coisa no Brasil que isso eles tiram de letra”. É rir para não “zumbizar!”

Se esta conversa lhe parece estranha, neste artigo poderá compreender um pouco melhor sobre esta assunto e participar desta discussão, leia rapidinho e volte aqui para continuarmos a conversa. Caso tenha um tempinho extra, leia este artigo também, não é boa notícia mais é bom saber também!

Art Hot: Fica claro que, para o mercado de canecas sublimáticas, tal resolução não procede em grande parte. Mesmo assim, desde o ano passado estamos à mercê de reajustes de valores e taxações mediante medidas da CAMEX.

Entre a “briga” dos lojistas/importadores X fabricantes nacionais, fica o consumidor: o maior prejudicado!

Abaixo parte da matéria que mostra que estes caras não conhecem nosso produto e muito menos nossa luta, na verdade enquanto lia estava pensando: “nós existimos?”

A matéria “A indústria da porcelana em agonia”, na HG Casa número 39, de 2016, já apontava que a crise começou muito antes de essa Resolução ser aplicada. Ou seja, a luta antidumping travada pelos fabricantes nacionais já existia.

A indústria nacional continua reclamando do prejuízo que sofre em relação à concorrência com o produto importanto. Por isso, as empresas Oxford Porcelanas S/A e Comércio de Cerâmica Tirolesa Ltda. (Studio Tacto) protocolaram no MDIC (Camex) petição de abertura de investigação de dumping nas exportações para o Brasil de objetos de louça para mesa, em meados de 2012. A apuração com o envio de questionários a todas as partes interessadas (menos os consumidores) inclusive aos exportadores chineses, foi iniciada por meio da Circular SECEX numero 69, de 21 de dezembro de 2013, e publicada no Diário Oficial da União (DOU), de 26 de dezembro de 2012.

Não perca tempo lendo o artigo acima na integra, eles querem é vender revista para a Oxford, mais caso queira se irritar como eu, fique a vontade através deste link para a revista digital, página 10!

Mesmo com problemas na classificação dos produtos, porcelana e produtos para sublimação “cacique continua usando cocar e índio tanga”. Um cuidado extra pra não flechar o próprio pé.

nilton-01

ESTAMPE PRODUTOS DE MANEIRA PERFEITA

CURSO COMPLETO + BÔNUS + SUPORTE